A importância do descanso no ciclismo


A performance de um ciclista não depende somente da quantidade e da qualidade do seu treino. A nutrição e o descanso desempenham igualmente papéis importantes nesta equação. Seja iniciante na modalidade ou atleta profissional, dormir pelo menos 8 horas por dia, comer de forma adequada e seguir um plano de treino bem estruturado são as três premissas fundamentais para realizar uma boa época desportiva.



Quando entramos numa rotina de treino, temos a tendência de encarar os dias de descanso como um passo atrás na nossa evolução. Simplesmente achamos que passar um dia sem treinar nos fará perder uma parte da forma que tanto nos custou a conseguir e por isso muitas vezes caímos na tentação de não incluir dias de descanso na nossa rotina.


Um plano de treino bem estruturado é constituído por blocos de carga, mas também por fases de descanso, sejam de apenas um dia quando falamos de microciclos de 7 dias, ou de uma semana quando falamos de um mesociclo de, por exemplo, 4 semanas, em que três são de carga e uma de recuperação.


A evolução apenas acontece quando são combinadas cargas de treino progressivas com períodos de recuperação. O treino provoca stress ao nosso corpo, resultado de um estimulo acima daquilo a que estamos habituados, e a recuperação favorece a adaptação do organismo a esse mesmo estimulo e a reparação dos músculos danificados, fazendo com que estes fiquem mais fortes do que eram antes, permitindo-lhes assim produzir mais potência durante um maior período de treino. É este ciclo de carga e recuperação que nos permite produzir esforços cada vez maiores consoante avançamos no nosso plano de treino e assim atingir os objectivos a que nos propomos.


Um plano de treino bem estruturado irá garantir que estas fases de recuperação acontecem em quantidade e nos timings adequados, de forma a garantir que estamos no auge das nossas capacidades nas datas dos nossos principais objectivos da época. Demasiado descanso impede-nos de chegar mais longe, enquanto a sua falta poderá levar-nos a uma estagnação na evolução, a um estado de overreaching ou mesmo de overtraining, do qual poderemos demorar vários meses para conseguir recuperar.


Joe Friel, um dos mais reconhecidos treinadores de ciclismo e triatlo e autor do livro The Cyclist Training Bible (que recomendo a leitura) entre outros, refere que o treino apenas dá ao individuo as condições favoráveis para evoluir, evolução essa que apenas acontece caso haja posteriormente ao treino um período de descanso e recuperação.


Pessoalmente incluo sempre, pelo menos, um dia de descanso passivo por semana, que geralmente acontece à segunda-feira. Paralelamente a isso, o meu plano de treino está periodizado em mesociclos de quatro semanas, em que três são de carga e uma de recuperação. Nessa semana de recuperação não paro completamente. Incluo sempre algumas sessões de treino a intensidade baixa (Z1 e Z2) com duração nunca superior a uma hora. Caso vá para a estrada ao fim-de-semana, a intensidade será sempre a mais baixa possível. Apesar de durante a semana treinar quase sempre bem cedo, faço os possíveis para garantir, pelo menos 7 a 8 horas de sono diárias.


Posto isto, não tenham medo de descansar. Para além de benéfico, sabe muito bem! :)

0 views
  • Também no Facebook
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

©2018 by Cycling Domestique. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now