Review: Wahoo Elemnt Bolt (PT/EN)



PT


Há cerca de um ano e três meses escolhi o Wahoo Elemnt Bolt para substituir o meu velhinho Garmin Edge 500. A escolha mais lógica seria continuar na Garmin com um Edge 520, mas o feedback positivo que fui recolhendo acerca do Bolt fez-me avançar para a compra e tem sido desde essa altura o meu fiel companheiro de treino. Após mais de 480h de utilização, seguem as minhas impressões acerca deste equipamento.

Em termos estéticos aquilo que me chamou desde logo à atenção foi o design aero e a perfeita integração quando montado na bicileta. O suporte permite que o Bolt fique nivelado com o avanço da bicicleta, quase parecendo um prolongamento do mesmo. O tamanho e o peso são também pontos bastante positivos que destaco. Menos impressionado fiquei com a qualidade do material com que é construída a parte exterior do GPS. Apesar de ser agradável à vista, a utilização de mais plástico do que borracha dá-me a sensação de maior fragilidade em caso de queda. Poderá ser apenas uma sensação, mas felizmente nunca precisei de a testar.

O Bolt permite ligação através dos protocolos ANT+, Bluetooth e Wireless. Na ligação dos sensores (medidor de FC e medidor de potência) utilizo o ANT+ sem qualquer tipo de problema até ao momento. Alguns segundo após ligar o GPS já tenho a leitura dos dados dos sensores no ecrã. O Bluetooth é utilizado apenas para emparelhamento com o telemóvel (Huawei P10 lite) e neste caso a ligação já não é tão estável, uma vez que durante um treino de 3 ou 4h há momentos em que o telemóvel desemparelha com o GPS. Neste caso creio que o problema estará no telemóvel, uma vez que a Wahoo anuncia no seu site incompatibilidades entre o Bolt e os equipamentos Huawei. Quanto à ligação wireless, nada a dizer. Muito rápido quer a carregar treinos para o Strava e TrainingPeaks, quer a sincronizar os treinos programados.



A configuração de todas as definições do equipamento é feita de forma muito simples e intuitiva através de uma app própria que se instala no telemóvel. Temos disponíveis inúmeras métricas para colocar nas várias páginas do ecrã e todas as configurações que fazemos são aplicadas ao Bolt de forma instantânea.

Quanto ao funcionamento do equipamento, este é também bastante simples. Destaco as teclas de zoom que nos permitem reduzir ou aumentar o número de campos de dados visíveis no ecrã, bastante útil quando nos queremos concentrar em determinados dados, como por exemplo na realização de séries em que precisamos de controlar a potência em determinado intervalo. Estas teclas também são bastante úteis em navegação e para os perfis de altimetria. O Bolt tem uma fila de LEDs por cima do ecrã que podem ser configurados para indicar as zonas de FC ou de Potência, o que é bastante útil durante os treinos.

Utilizo bastante o Bolt para treinos estruturados que crio no TrainingPeaks e para mim é excelente. Potência alvo, frequência cardíaca, cadência, tempo restante da série, tempo total do treino, tudo está ao nosso dispor para conseguirmos controlar o treino de forma simples e eficaz. Aqui mais uma vez os LEDs são bastante úteis para controlo da potência (ou FC) alvo.



Apesar do ecrã ser monocromático, o contraste é muito bom e a navegação bastante fácil. Temos disponíveis os mapas de vários países e, no caso do mapa de Portugal, está bastante completo e actual. As rotas podem ser criadas no Strava, no Komoot ou no Ride with GPS e estas são sincronizadas de forma automática para o Bolt. Quando criadas de raíz, as rotas do Ride with GPS e do Komoot ficam com indicações Turn by Turn. Através da opção Take me Anywhere podemos a qualquer momento configurar uma rota na app e utilizá-la de imediato no Bolt, com indicações Turn by Turn.

Os Strava Live Segments também estão disponíveis no Bolt, desde que tenhamos esse serviço subscrito no Strava. Os segmentos que assinalamos como favoritos aparecem-nos de forma instantânea no ecrã assim que nos aproximamos do seu inicio e dessa forma podemos saber, em tempo real, o nosso tempo e respectiva classificação.

Após finalizarmos o treino o Bolt disponibiliza-nos uma infinidade de métricas para analisarmos no imediato. Desde as mais básicas como o tempo, distância e velocidade média até aos mais avançados como TSS, NP, IF e picos de potência para várias durações.

Em termos de autonomia a Wahoo anuncia 15h, dependendo claro dos sensores que tenhamos ligados ao equipamento. Por experiência própria, com os sensores de FC e potência ligados já fiz treinos com mais de 10 horas sem esgotar a bateria.

De forma resumida, destaco como pontos fortes:

. o design aerodinâmico;

. a simplicidade de configuração e de operação com o equipamento;

. os treinos estruturados;

. a autonomia;

Como pontos a melhorar assinalo essencialmente um:

. a impossibilidade de carregar treinos estruturados no equipamento, de forma manual, ficando “reféns” da utilização do TrainingPeaks para criação e programação dos treinos; a versão free do TrainingPeaks permite fazer tudo isso mas é muito limitada, não sendo possível, por exemplo, criar e gravar treinos na nossa biblioteca; cada vez que queremos fazer uma treino é necessário voltar a criá-lo de raíz; a versão premium já possibilita fazer isto e muito mais, mas com o inconveniente de ser paga.

Se voltava a comprar o Bolt e/ou se o recomendo? Com certeza que sim!




EN


About a year and three months ago I chose the Wahoo Elemnt Bolt to replace my old Garmin Edge 500. The most logical choice would be to continue on Garmin with an Edge 520, but the positive feedback I was collecting about Bolt made me move on to the purchase and has been, since that time, my faithful training partner. After more than 480 hours of use, these are my impressions about this equipment.

Aesthetically, what immediately called my attention was the aero design and the perfect integration when mounted on the bicycle. The bracket allows the Bolt to be flush with the bike stem, almost looking like an extension of it. Size and weight are also very positive points that I highlight. Less impressed I was left with the quality of the material with which the outside of the GPS is built. Although pleasing to the eye, the use of more plastic than rubber gives me the feeling of greater fragility in case of fall. It might just be a sensation, but fortunately I never needed to test it.

The Bolt allows connection through the ANT +, Bluetooth and Wireless protocols. In the connection of the sensors (HR and power meter) I use ANT+ without any problems so far. A few seconds after turning on the GPS, I already read the sensor data on the screen. Bluetooth is only used for pairing with the mobile phone (Huawei P10 lite) and in this case the connection is no longer as stable, since during a training of 3 or 4 hours, there are times when the mobile phone does not match the GPS. In this case I believe the problem will be on the phone, since Wahoo announces on its site incompatibilities between Bolt and Huawei equipment. As for the wireless connection, nothing to say. Very fast to upload training data to Strava and TrainingPeaks or to synchronize the scheduled workouts.


The configuration of all the settings is made very simple and intuitive through an own app that we install on the smartphone. We have countless metrics available to put on the various pages of the screen and all the settings we make are applied to Bolt instantly.


As for the equipment operation, this is also quite simple. I highlight the zoom buttons that allow us to reduce or increase the number of data fields visible on the screen, very useful when we want to focus on certain data, for example, in the intervals that we need to control the power in a certain range. These buttons are also very useful in navigation and for altimetry profiles. The Bolt also has a row of LEDs above the screen that can be configured to indicate the HR or Power zones, which is very useful during training.


I use the Bolt quite a lot for structured workouts that I create in TrainingPeaks, and for me it is excellent. Target power, heart rate, cadence, remaining time of the series, total training time, everything is available to us to control the training in a simple and effective way. Here again the LEDs are quite useful for controlling the target power (or FC) in the desired target range.


Although the monochrome screen, the contrast is very good and the navigation quite easy. We have available the maps of several countries and, in the case of Portugal, is quite complete and current. Routes can be created on Strava, Komoot or Ride with GPS and these are automatically synchronized to the Bolt. When created there, the Ride with GPS and Komoot routes are marked with Turn by Turn indications. Through the Take me Anywhere option we can, at any time, set up a route in the app and use it immediately on Bolt with Turn by Turn indications.

Strava Live Segments are also available on Bolt as long as we have this service subscribed on Strava. The segments that we mark as favorites appear instantly on the screen as we get closer to their start, and thus we can know, in real time, our time and classification.


After finishing the training session, Bolt display a multitude of metrics to analyze in the immediate. From the most basic such as time, distance and average speed to the most advanced ones like TSS, NP, IF and Power Peaks for various durations.


In terms of autonomy, Wahoo announces 15 hours, depending on the sensors we have connected to the equipment. From my own experience, with the HR and power sensors on, I've been training for more than 10 hours without depleting all the battery charge.


Briefly, I highlight as strengths:

. aerodynamic design;

. the simplicity of configuration and operation with the equipment;

. structured workouts;

. autonomy;


As points to improve I point out essentially one:

. the impossibility of manually carrying structured workouts on the equipment, being “hostage” to the use of TrainingPeaks to create and schedule the workouts. The free version of TrainingPeaks allows you to do all this but is very limited. For example, it is not possible to create and save workouts in our library. Every time we want to do a workout it is necessary to re-create it from the scratch. The premium version already makes it possible to do this and much more, but with the inconvenience of being paid.


Would i buy Bolt again and/or recommend it ? Of course!

0 views
  • Também no Facebook
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

©2018 by Cycling Domestique. Proudly created with Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now